Estoicismo: significado, resumo e principais filósofos

O estoicismo prega que as virtudes humanas são medidas através dos atos e não das palavras, e que os eventos externos não podem ser controlados, assim as escolhas devem ser baseadas unicamente no eu.

Com berço na Grécia Antiga, a filosofia nasceu a partir da criação das pólis, também chamadas de cidades-estados, onde surge a necessidade de discutir assuntos como poesia, religião e sociopolítica. O pai da filosofia foi Tales de Mileto, mas foi a partir de Pitágoras que ganhou seu sentido.

Tida como o estudo sobre as questões da existência humana, a filosofia busca trazer respostas sem imposição, ou seja, ela traz formas de enxergar e resolver os problemas da sociedade sem se considerar uma verdade absoluta.

Ao contrário da mitologia, a filosofia busca por respostas racionais, mas também não se submete a experimentos práticos como a ciência. Logo, pode ser entendida como teorias da análise do pensamento com base lógica.

O que é Estoicismo?

Esta filosofia helenística foi criada em Atenas por Zenão de Cítio, mas se tornou popular em Roma através de adeptos como Sêneca e Marcos Aurélio.

Buscando ensinar sobre a imprevisibilidade do mundo, o estoicismo fala sobre o quão breve é a vida e que, ainda que o hoje não seja tão agradável quanto o ontem, o homem tem o dever de viver todos os momentos da melhor forma possível.

Sem teorias complexas e rebuscadas, busca apenas ensinar o caminho para alcançar a sabedoria necessária para superar emoções destrutivas e descobrir o momento certo de agir naquilo que pode ser mudado.

estoicismo

Significado de Estoicismo

A palavra estoicismo originou-se a partir do termo grego stoà poikile, que significa Pórtico das Pinturas. Este era o nome do local onde Zenão de Cítio ensinava seus discípulos de Atenas.

O movimento filosófico foi dividido em três períodos: ético, eclético e religioso. O primeiro período simboliza a criação do estoicismo por Zenão de Cítio, e perdurou até o final de sua vida em 262 a.C. Após a morte de seu fundador, a filosofia estoica foi transformada por Crisipo de Solunte no padrão conhecido atualmente.

O segundo período, por sua vez, inicia-se com a expansão do pensamento estoico pela Roma Antiga, através de Panécio de Rodes. Neste momento o estoicismo se torna uma filosofia eclética, sofrendo influência dos pensamentos de grandes filósofos como Platão e Aristóteles.

Já no terceiro período, a filosofia estoica passa a ser pregada pelo ponto de vista da fé. Assim, ela deixa de ser um questionamento lógico sobre o mundo e a forma de se viver nele, e passa ser uma visão religiosa de como lidar com as questões da vida. Neste período um dos principais adeptos foi o imperador Marcos Aurélio.

Filosofia Estoica

Atualmente é considerada estoica uma pessoa que consegue se manter calma em momentos de pressão. Porém, a filosofia original vai muito além de uma atitude.

Os estoicos acreditavam que tudo que acontece no mundo está interligado em uma grande rede de causas e efeitos. O ser humano não consegue ter controle sobre os acontecimentos durante sua vida, porém tem total controle sobre suas reações diante do que aconteceu.

Enquanto a maioria dos filósofo buscam por um modelo de sociedade perfeita, a filosofia estoica tem como objetivo ensinar a lidar com o mundo da forma que ele se apresenta através de quatro virtudes vistas como essenciais: sabedoria prática, temperança, justiça e coragem.

Embora seja uma filosofia voltada para o desenvolvimento pessoal, não é egocêntrica. Em uma época em que os escravos eram visto como propriedade de seus senhores, filósofos como Sêneca pregavam o cuidado com as pessoas, uma vez que todos compartilham da mesma humanidade fundamental.

O estoicismo renega ainda a passividade, pregando que apenas quem alcançou virtudes genuínas e o autocontrole pode trazer mudanças positivas aos que estiverem a sua volta.

filosofia estoica

Filósofos Estoicos

Cleantes de Assos

Foi discípulo do Zenão de Cítio, sendo uma figura importante para o desenvolvimento da filosofia estoica. Sua principal obra foi Hino a Zeus.

Crisipo de Solis

Discípulo de Cleantes de Assos, foi um dos principais representantes gregos e responsável pela disseminação do estoicismo.

Panécio de Rodes

Foi o filósofo grego responsável pela difusão estoica por Roma. Sua principal obra foi Sobre os Deveres.

Posidónio de Apameia

Foi um filósofo, historiador astrônomo e geólogo grego. Estudou em Atenas onde sofreu as primeiras influências do estoicismo. Anos mais tarde se tornou embaixador em Roma, com pensamentos pautados no racionalismo e no empirismo.

Epicteto

Filósofo grego que passou boa parte de sua vida como escravo romano. Suas principais obras foram Manual de Epicteto e Discursos.

Sêneca

Nascido em Córdoba, este filósofo, orador, porta e político foi considerado um dos maiores pensamentos do Império Romano. Sêneca baseou seu trabalho em ética, física e lógica.

Marcos Aurélio

Imperador e filósofo romano, foi seus estudos em temas religiosos. Séculos mais tarde, seus diários de batalha serviram de guia para Nelson Mandela durante o 27 anos que este ficou preso.

Estoicismo e Epicurismo

O estoicismo é tido como uma filosofia de vida, onde coloca as ações acima das palavras. Buscam a felicidade com base no saber, através da evolução pessoal para alcançar o entendimento da razão universal.

Tem a construção de um caráter virtuoso como aspecto fundamental da sua filosofia. Prega ainda o desapego com emoções subversivas e o amor fraternal para com qualquer ser humano.

Em contra partida, no epicurismo acredita-se que alcançar a tranquilidade e a ausência de sofrimento físico é encontrar a felicidade genuína. Porém, para isso é preciso se libertar das paixões. Os epicuros têm a filosofia apenas como um instrumento para alcançar a felicidade.

Resumo

O estoicismo foi uma escola filosófica de grande importância e representatividade para Grécia e Roma Antiga. Como instituição ele foi desaparecendo ao longo dos anos, mas como filosofia continua influenciando diversas sociedades e culturas na forma de buscar a divindade e a felicidade.

Com seus ideais para os caminhos de uma evolução pessoal gratificante, a filosofia estoica pode ser o primeiro passo para uma sociedade mais harmoniosa, uma vez que apenas uma pessoa que busca o melhor para si pode ajudar outros em sua comunidade a evoluir também.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *