Ditados populares e seus significados

Existem muitos ditados populares, uns mais, outros menos conhecidos.

“A pressa é inimiga da perfeição”

“Deus ajuda quem cedo madruga”

“Devagar se vai longe”

Todas as pessoas já ouviram essas frases pelo menos uma vez na vida, são frases comuns no nosso país, mas ninguém sabe ao certo quem as disse primeiro.

Essas frases são conhecidas como ditados populares, elas são muito importantes na formação de nossa cultura e comportamento, e existem centenas espalhadas por aí.

O que são ditados populares?

Os ditados populares são frases que estão enraizadas na mente de todo um povo, são ditos muito conhecidos e bastante usados no convívio social. Porém, ninguém sabe ao certo quem é o autor do ditado, ele está presente há muito tempo na língua do povo.

Os ditos populares, em sua maioria, são frases com a finalidade de ensinar lições de moral e comportamento, sendo comumente usadas por pessoas mais velhas tentando transmitir conhecimento.

“Deus ajuda quem cedo madruga” é um exemplo de ditado com o intuito de aconselhar, segundo a frase, é possível entender que quem acorda cedo e não tem preguiça é ajudado por Deus.

A frase “Um dia é da caça e outro do caçador” pode ser usada como consolo quando algo dá errado. São centenas de ditados populares que todos os dias são ditos em nosso país, cada um com seu significado.

Embora a maior parte dessas frases seja uma maneira de transmitir ensinamentos, há também algumas que podem ser usadas como ofensa, ou mesmo discriminação.

ditados populares

Ditados populares mais conhecidos

Embora existam centenas de ditados populares, existem alguns que são muito mais conhecidos do que outros:

“Quem ri por último, ri melhor”

Esse dito é bastante usado. Sua interpretação mais comum é de que não devemos comemorar a vitória antes da hora, e de que é melhor vencer a guerra do que a batalha.

Uma andorinha voando sozinha não faz verão

Essa frase diz que sozinhos, não podemos fazer algo grande. Porém, ela pode ser questionada, já que diversas das maiores revoluções da história foram feitas por uma pessoa apenas.

Quem não tem cão, caça como gato

Essa frase sofreu pequenas alterações ao longo dos anos, mas o dito original transmite a ideia de que quem não tem cão, precisa caçar como um gato, ou seja, sutilmente e de maneira furtiva.

Quem canta seus males espanta

Esse dito afirma que ao cantar, espantamos a tristeza, o desânimo e outros males que podem estar nos acompanhando. Em outras palavras, cantar traz ânimo e alegria.

“Pimenta nos olhos dos outros é refresco”

Essa frase se refere à quando consideramos algo ruim ou perigoso, mas mandamos outra pessoa fazer. Ou seja, os outros podem se arriscar, mas nós não.

“O seguro morreu de velho”

Essa frase possui duas interpretações distintas. Em uma delas, podemos entender que a pessoa segura e precavida morre de velhice, e não de infelicidades que podem encurtar a vida.

Na outra interpretação, podemos entender que mesmo se uma pessoa for precavida, ela vai acabar morrendo de qualquer maneira, mesmo que de velhice.

“Para um bom entendedor, meia palavra basta”

Esse ditado popular nos ensina que nem sempre é necessário um grande discurso, ou grandes frases, para quem entende bem, o mínimo de detalhes basta.

“Mais vale um pássaro na mão do que dois voando”

Nessa expressão, podemos entender que é melhor ter algo garantido como seu do que querer o que está longe e arriscar perder tudo. Ou seja, a ganância pode fazer mal.

“Diz-me com quem andas e eu lhe direi quem és”

Nesse ditado compreendemos que é possível saber como uma pessoa é observando a companhia que tem. Por exemplo, se alguém anda com pessoas inteligentes, podemos supor que ela também seja uma.

Ditados populares engraçados

Existem também alguns ditados populares engraçados, a maioria deles é uma versão diferente de outros ditados famosos um pouco alterados:

 

“Quem ri por último é de raciocínio lento”

 

“Se o trabalho dá saúde, que trabalhem os doentes”

 

“Se a montanha vem até ti, trata-se de um desmoronamento”

 

“Espelhos deveriam pensar duas vezes antes de refletir”

 

“A prática leva a perfeição, exceto na roleta russa. ”

 

Ditados populares e seus significados

“Amigo da onça”

Esse ditado quer dizer que o amigo da onça é uma pessoa traiçoeira, que quer te ver mal.

Segundo relatos, essa expressão surgiu com a história de um caçador. Ele disse que foi surpreendido por uma onça e deu um grito de susto tão alto que o animal fugiu. Após o relato ele foi contar para seu amigo, que acabou não acreditando, dizendo que se fosse verdade ele teria sido devorado. Sendo assim o caçador perguntou “Você é meu amigo ou amigo da onça? ”.

“Bicho de sete cabeças”

Esse dito popular faz referência a um problema muito difícil e complexo, que temos medo ou receio de enfrentar.

A expressão parece ter sido originária da mitologia grega, mais precisamente da Hidra, um mostro mitológico que possuía sete cabeças, e sempre que se cortava uma, nasciam duas no lugar. A expressão “bicho de sete cabeças” parece ter saído daí.

“Ficar a ver navios”

Uma pessoa que fica a ver navios é alguém que fica muito tempo esperando por algo que não acontece, ou que nunca acontecerá.

Esse dito teve origem em Portugal e foi trazido para cá. No século XVI, o rei Dom Sebastião morreu em batalha, porém seu corpo nunca foi encontrado. Com isso, Portugal acabou se vendo obrigado a fazer parte do território da Espanha.

Dizem que os portugueses frequentavam o Alto de Santa Catarina (Lisboa) olhando o mar e esperando seu rei retornar para os salvar, porém ele nunca voltou, e o povo ficou “a ver navios”.

“Onde Judas perdeu as botas”

A expressão faz referência a um lugar muito longe e difícil de encontrar.

A história diz que, após trair Jesus, Judas se enforcou por remorso e arrependimento, porém, ele foi encontrado sem o dinheiro recebido e sem as botas. Os soldados que o encontraram presumiram que o dinheiro estava junto com as botas, procuraram muito, mas não as encontraram.

Confira também nossa matéria sobre os usos do porques e Trava Língua.

Ditados populares e seus significados
Avalie essa matéria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *